Arquivo da categoria: Câmara dos vassalos

Procura-se candidato que defenda interesses dos moradores do Jabaquara.

Devemos aproveitar o período eleitoral para chamar a atenção das diversas autoridades e candidatos para a questão do Jabaquara, em geral, e para a questão da Operação Urbana Consorciada Água Espraiada, em especial.

O Jabaquara deve mobilizar todos os espaços e os moradores do seu território, situado exatamente na área da Operação Urbana Consorciada Água Espraiada, para defender a proposta de “garantia de moradia para as 20 mil famílias de favelas e cortiços” e também “a garantia de indenização real para os proprietários que vierem a ser desapropriados”.

Estas campanhas serão apoiadas pelo Movimento Jabaquara Livre da seguinte forma:

1) Distribuição de panfletos para todas as famílias da área afetada pela Operação Urbana no Jabaquara;
2) Marcação de reuniões semanais com os moradores da região, tanto com moradores de favelas e cortiços quanto com proprietários;
3) Gravação dos vídeos destas reuniões, publicação na internet e divulgação nas listas de nossos contatos;

O candidato ou partido apoiado pelos moradores do Jabaquara devem assumir os seguintes compromissos:
1) Defesa da Garantia de moradia popular para as 20 mil famílias dos cortiços e favelas; e indenização real para os proprietários que tiverem seus imóveis “desapropriados”;
2) Defender a criação do Conselho de Representantes em cada subprefeitura, com representantes eleitos única e exclusivamente pelos moradores locais;
3) Indicação dos subprefeitos entre lideranças locais;
4) Defender um convênio com o governo estadual ou federal para a construção de uma Escola Técnica no Jabaquara, priorizando curso de informática e saúde;
5) Defender um convênio com o governo estadual ou federal para a construção de um laboratório de fabricação de medicamentos básicos na região de Americanópolis;
6) Defender a criação de um Centro de Referência e Defesa dos Direitos da Mulher (região da Vila Clara);
7) Defender o financiamento de programas e projetos das entidades do Jabaquara, voltados às crianças e adolescentes, via fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de S. Paulo – Fumcad;
8) Defender que os conselheiros tutelares sejam eleitos por moradores que efetivamente comprovem residência no local de atuação do conselho tutelar local;
9) Defender que os pais do Conselho do Fundo Municipal de Desenvolvimento do Ensino Básico (Fundeb) sejam escolhidos em eleições livres organizadas pelo Fórum Municipal de Educação da Cidade de São Paulo;
10) Defender a criação de acesso livre à internet no Jabaquara;
11) Defender a criação de um programa permanente de regularização dos imóveis, fazendo convênios com os sindicatos de engenharia ou arquitetura para que prestem serviços subsidiados de para as famílias de baixa renda na questão da regularização de seus imóveis.

Caso não haja interesse de candidatos e nem partidos em apoiar estas propostas, a campanha incluirá a defesa da Emancipação do Jabaquara, incluindo campanha e mobilização para a paralisação das obras do Túnel da Vergonha no Jabaquara. Um túnel ilegal e inútil (só para carro particular) que vai custar mais de R$ 3 bilhões (10% do orçamento municipal), dinheiro suficiente para construir 3 mil creches, ou 600 escolas de ensino fundamental, ou 60 mil casas populares, ou 600 postos de saúde, ou 10 hospitais, ou 50 corredores de ônibus…

É isso por enquanto.

São Paulo, 1º de agosto de 2012.
Mauro Alves da Silva
Movimento Jabaquara Livre
JabaquaraLivre.ning.com

2 Comentários

Arquivado em Água Espraiada, Câmara dos vassalos, Conselho Tutelar, Jabaquara, República dos Coronéis

Secovi diz que especulador imobiliário é a titia… e Luis Nassif engole calado…


É lamentável que tenhamos mais um programa jornalístico pago como nosso dinheiro público para falar mal do povo e dar voz apenas aos tubarões da especulação imobiliária.
No programa “Mudanças na caderneta de poupança” (Brasilianas, da TV Brasil, 16-04-2012), o economista-chefe do Secovi-SP (Sindicato das Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis Residenciais e Comerciais de São Paulo), Celso Petrucci, disse,com todas as letras, que o especulador imobiliário é a titia…

O economista-chefe do Secovi chegou a pedir que as prefeituras reajam de uma forma rápida e forte contra o aumento dos ganhos nas vendas dos terrenos, citando especificamente o caso da cidade de São Paulo; além disso, indica a necessidade de se aumentar o estoque de “outorgas onerosas” (aumento do potencial de construção em áreas já saturadas)…
Seria por isso que a AIB (Associação Imobiliária Brasileira) – ligada a diretores do Secovi – ajudou a bancar eleições de vereadores e do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab? Para que eles aprovassem leis em que a prefeitura desapropria, usando dinheiro público, os locais de maior interesse das imobiliárias e das construtoras? A exemplo da Operação Nova Luz e da Operação Urbana Água Espraiada? Desapropriações segundo interesses das próprias empresas especuladores e que vão ficar com o lucro futuro da revenda ou utilização do novo local reurbanizado? Vejam o resumo de duas notícias esclarecedoras:

Imobiliárias de SP driblam lei para ocultar doadores
Folha de São Paulo – 14/04/2009

O setor imobiliário de São Paulo, coordenado pelo Secovi, o sindicato da categoria, usou uma entidade para driblar a legislação eleitoral –que proíbe doações de sindicatos– e ocultar os verdadeiros responsáveis pelas doações feitas pelo setor

Justiça multa AIB em R$ 30,8 mi por doação irregular a Kassab e vereadores
(Folha de São Paulo, 26/11/2010)

A AIB (Associação Imobiliária Brasileira) foi condenada a pagar R$ 30,8 milhões por ter ajudado a bancar eleições de vereadores e do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM).
A entidade virou alvo de uma ação judicial após fazer doações ilegais no valor de R$ 5,8 milhões, segundo o Ministério Público de São Paulo. O montante é ainda maior para a Justiça Eleitoral: R$ 6,1 milhões. O esquema foi revelado pela Folha em 2009.
(…)
Em sua decisão, o juiz Silveira afirmou que a AIB é “um simulacro de associação, que não tem atividade própria, funcionários e nem mesmo associados há, o que foi confessado por seu representante legal”.
A entidade teria cometido “uma verdadeira fraude à lei, justamente para encobrir doações de eventuais fontes vedadas [como sindicatos]”, disse Silveira.

Por que a imprensa não cobra do Secovi qual é a sua participação efetiva nos diversos conselhos gestores das operações urbanas (“Faria Lima”, “Água Branca”, “Nova Luz” e “Água Espraiada”)? Como explicar que estas operações gastaram milhões de reais do dinheiro público para favorecer tão somente a especulação imobiliária e trouxe raros ou nenhum benefício social para os moradores nas respectivas regiões? Será que a imprensa também tem medo de perder as verbas milionárias dos anúncios das construtoras e das imobiliárias?

Um jornalismo independente e democrático ouviria não só os representantes dos bancos e das imobiliárias, mas também os moradores e as associações de moradores das áreas atingidas pelas operações urbanas… Por que não ouvem a Associação de Moradores da Pompéia (“Operação Água Branca”), ou o Consabeja Jabaquara, Conselho Coordenador das Associações Amigos de Bairro do Jabaquara e Adjacências (“Operação Água Espraiada”), ou a Associação dos Comerciantes da Santa Ifigênia (“Operação Nova Luz”)? Quem tem medo de ouvir as “titias”, as “vovós” ou as associações de moradores é porque deve estar de rabo preso com a especulação imobiliária.

São Paulo (por enquanto), 20 de abril de 2012.
Mauro Alves da Silva.
Movimento Jabaquara Livre
http://JabaquaraLivre.wordpress.com/

Deixe um comentário

Arquivado em Água Espraiada, Câmara dos vassalos, Folha de São Paulo, Jabaquara, Kassab, República dos Coronéis

Movimento Jabaquara Livre denuncia a farsa das desapropriações em S. Paulo.


Movimento Jabaquara Livre denuncia a farsa das desapropriações em S. Paulo.
Assembleia Popular – 18/04-2012

Mauro Alves da Silva
Visite: http://JabaquaraLivre.wordpress.com/

O Programa Assembleia Popular é gravado todas as quartas na Assembleia Legislativa de São Paulo. Um resumo é publicado no Diário Oficial da Assembleia Legislativa de SP. E o programa é transmitido pela TV a cabo NET (canal 13) e pela TVA (canal 66) aos sábados, das 20hàs 21h. O programa Assembleia Popular também pode ser assistido neste mesmo horário pela internet no seguinte endereço:

http://wwi.al.sp.gov.br/web/altv/alesp.asx

Deixe um comentário

Arquivado em Água Espraiada, Câmara dos vassalos, Jabaquara, Kassab, República dos Coronéis

A privataria Marta-Serra-Kassab na Cidade de São Paulo: Operação Urbana Água Espraiada, Nova Luz e a futura Operação Lapa-Brás.

Por que nem mesmo a imprensa independente divulga a privataria Marta-Serra-Kassab na Operação Urbana Água Espraiada?

Curioso notar que até mesmo um programa apresentado por um jornalista dito independente ignorou completamente a privataria do Kassab quanto tratou das operações urbanas na Cidade de São Paulo. Este jornalista e os entrevistados perderam mais tempo falando da ainda inexistente “operação urbana Lapa-Brás” do que a maior especulação imobiliária e higienista que está em curso na gestão Kassab: a Operação Urbana consorciada Água Espraiada.
A lei 13260/2001, editada na gestão Marta Suplicy (2-001-2004) , previa a reurbanização de todas as mais de 100 favelas na região de Americanópolis, Jabaquara, Brooklin, Berrini e Chucri Zaidan (Pinheiros), garantindo-se moradia para todos na mesma região na mesma região, inclusive para os proprietários que fossem atingidos pela Operação Urbana Água Espraiada.

Ponte milionária só serve de decoração para os programas da TV Globo.
Embora a Operação tenha arrecada mais de R$ 1 bilhão, nenhuma moradia popular foi construída na região.
O conselho Gestor é uma verdadeira “caixa-preta”: ate hoje não divulgaram quem foi o autor da proposta de se construir a ponte estaiada. No projeto original, uma ponte comum estava estimada em R$ 70 milhões… foi licitada por R$ 140 milhões (na gestão marta Suplicy)… e foi entregue inacabada a um custo superior a R$ 300 milhões (Gestão Serra, o breve – 2005-206)… Nesta milionária obra de engenharia não passa transporte público (ônibus, lotação etc) e nem bicicletas… Este “cartão postal milionário” serve tão somente como decoração no cenário de fundo dos telejornais da TV Globo que, diga-se de passagem, foi mimada pela prefeita marta Suplicy, que renomeou a avenida da corrupção (gestão Maluf, 1992-1996) Água Espraiada como Avenida Jornalista Roberto Marinho…

20 mil famílias morando em favelas e cortiços… e nenhuma moradia popular construída.
Há muito tempo que não tem política habitacional na cidade de são Paulo.No caso do Jabaquara, o último projeto habitacional é do então presidente Getúlio Vargas, que construiu 2 mil casas onde hoje está localizada a “Cidade Vagas”, ao lado do metrô Jabaquara.
Todos os anos a prefeitura, através da Secretaria de Habitação, faz visitas às favelas, conta as famílias e promete construir casas populares para os que serão removidos pelas obras da Operação UAE. Já cadastraram mais de 8 mil famílias só na região do Jabaquara… Mas, curiosamente, a prefeitura só se propôs a construir 4 mil moradias… e só contratou a construção de pouco mais de 700 casas… e está construindo apenas 241 casas… e não duvidamos de que justamente estas 241 casas é que serão o carro chefe da propaganda eleitoral nas eleições gerais de 2012.

Quem precisa de um túnel de R$ 3 bilhões onde só vai passar carro particular?
Essa história do túnel de 2,4 quilômetros – a um custo superior a R$ 3 bilhões – daria para escrever uma novela completa sobre privataria do dinheiro público e de como os interesses das construtoras e da especulação imobiliária manda e desmanda na Cidade de São Paulo.
A lei 12360/2001 previa uma avenida com duas pistas ao longo do Córrego águas Espraiadas, completando a antiga avenida Água Espraiada á Rodovia dos Imigrantes através de duas pistas expressas e pistas locais, terminando em um túnel de aproximadamente 400 metros.
Durante as audiências públicas para apresentação do o Estudo de Impacto Ambiental e o consequente Relatório (EIA/Rima) em 2003, ficou demonstrada a proibição de se construir grandes avenidas em “fundo de vale”.
Ao invés prefeitura se contentar em simplesmente prolongar a Avenida Água Espraiada no traçado já existente, desviar o tráfego pesado para as Avenidas Cupecê, Bandeirantes ou para o Rodoanel, alguém, não se sabe quem, teve a “brilhante idéia” de se construir um túnel de 3,8 quilômetros… e foi este túnel que foi apresentado nas audiências públicas do EIA/Rima em 2009, já na gestão Kassab…

Onde estão os pobres favelados do Jardim Edith?

Continua na parte 2.

Jabaquara Livre, 19 de fevereiro de 2012.
Mauro Alves da Silva
https://jabaquaralivre.wordpress.com/

1 comentário

Arquivado em Água Espraiada, Câmara dos vassalos, Kassab, República dos Coronéis

Roda Viva – entrevistadores ignorantes e prefeito (k)sabonete. #tunel3bi

O programa Roda Viva (TV Cultura, 24-10-2011) foi um dos momentos mais lamentáveis do antijornalismo que vigora naquela tv pública.
Os entrevistadores pareciam desconhecer completamente as questões e os números mais básicos da gestão Serra-Kassab na prefeitura de S. Paulo.
Não falaram sobre a “coronelização” das subprefeituras, centralização do poder e boicote contra a efetiva participação popular (ação judicial contra o “conselho de representantes” e processo fraudulento das eleições dos 44 conselhos tutelares).

No caso das grandes obras, as minas de ouro das construtoras e da especulação imobiliária, os entrevistadores pareciam completos analfabetos. Não citaram os valores astronômicos que serão gastos, valores estes que faltarão para atender às questões sociais: saúde, educação e moradia.

Caso da Operação Urbana Consorciada Água Espraiada.
Um entrevistador citou o valor do túnel da vergonha, no Jabaquara: R$ 3 bilhões. Mas deixou o prefeito (k)sabonete “escorregar” e dizer que a operação urbana [mais de R$ 5 bilhões] será financiada com recursos próprios…
Isso é uma completa mentira. Os recursos sairão do Orçamento Municipal, dinheiro de todos os paulistanos.
Até hoje, a Operação Urbana arrecadou pouco mais de R$ 1 bilhão, gastou mais de R$ 300 milhões na “ponte da vergonha”. E não construiu uma única moradia popular.
Todo ano a prefeitura “cadastra” moradores das favelas. Cadastraram mais de 8 mil famílias, mas as obras contratadas só falam em 4 mil moradias…
Aliás, esta Operação Urbana Água Espraiada é um caso vergonhoso de manipulação dos diversos ocupantes da cadeira de prefeito… sempre com a cumplicidade da mídia… Depois do Tribunal de Contass denunciar mais de 70 irregularidades na licitação das obras, inclusive a construção de um túnel de 3,8km (não previsto na lei), a prefeitura enviou para a Câmara uma “nova lei”, agora com o túnel de 400 metros “redimensionado” para 2,4km, a um custo superior a R$ 3 bilhões… A nova lei foi aprovada por 40 vereadores-vassalos amiguinhos do prefeito (k)sabonete… Teve até vereador-velho-comunista e vereador-mano-da-periferia votando a favor das construtoras e da especulação imobiliária; votando contra a prioridade na construção de moradia popular…
Curiosamente, mesmo mudando a lei e acrescentando o Túnel da Vergonha (R$ 3 bilhões), ainda assim a prefeitura manteve o resultado da “licitação” feita meses antes da aprovação da nova lei que modificou a Operação Urbana Consorciada Água Espraiada.

Caso Nova Luz – o que os entrevistadores fumavam no intervalo?
O líder da bancada dos entrevistadores-ignorantes falou da “cracolândia”, ignorando que esta palavra é o mantra das construtoras e da especulação imobiliária para desvalorizar a região e expulsar os 5 mil comerciantes lojistas e os mais de 50 mil comerciários… A “cracolândia” fica em um único quarteirão (rua Guaianases), mas a prefeitura vai entregar 50 (cinqüenta) quarteirões para a administração da especulação imobiliária… nestes 50 quarteirões está incluída a rica região do mundialmente conhecido comércio de eletro-eletrônicos da Santa Ifigênia.
A “Concessão Urbanística à paulistana”, aprovada pelo prefeito (k)sabonete e seus 40 vereadores-vassalos amiguinhos, vai permitir que toda a região da Nova Luz seja desapropriada e, depois, administrada pelas próprias empresas construtoras ou imobiliárias que ganharam o “direito” de especular na região.
Duas curiosidades ignoradas pelos entrevistadores-ignorantes:
1. Embora o prefeito (k)sabonete diga que as operações urbanas são auto financiáveis, com recursos próprios, as construtras e a especulação imobiliária já informaram que vão precisar de R$ 1 bilhão dos cofres da prefeitura (dinheiro de todos nós) para desapropriar os imóveis na região da Nova luz;
2. Os entrevistadores-ignorantes já repararam que diminuíram sensivelmente as manifestações dos 50 mil comerciários que correm o risco de perder o emprego por conta da especulação imobiliária no projeto Nova Luz? Será que haveria alguma relação com o fato do presidente do sindicato dos comerciários ter-se filiado recentemente no partido do prefeito (k)sabonente?

Operação Urbana Lapa-Brás.
Os entrevistadores-ignorantes não sabem que não existe a Operação Urbana Lapa-Brás?
O que existe, na região, é a operação Urbana Água Branca, de 1995, que já arrecadou mais de R$ 100 milhões e não se gastou um único centavo na prevenção contra enchentes, por exemplo… Mas a prefeitura do (k)sabonete disse que a região ficará livre das enchentes… em 2015…

Estádio do Corinthians e o Teatro da Dança.
Mais uma vez o líder dos entrevistadores-ignorantes cita um caso sem tocar nas graves implicações sociais. Ele fala do estádio do Corinthians sem citar que o dinheiro envolvido (R$ 500 milhões em incentivos) é de todos os paulistanos… dinheiro que certamente fará falta na construção e manutenção de equipamentos sociais de saúde, educação, assistência social etc.
Mas, por outro lado, por que os entrevistadores-ignorantes não compararam o valor do dinheiro público destinado ao estádio do Corinthians (R$ 500 milhões) com o valor do dinheiro público destinado ao Teatro da Dança (R$ 600 milhões) na região da Nova Luz? Vale destacar que este “teatro da dança” terá menos de 3 mil lugares… e que o custo inicial era de R$ 300 milhões… e que só o projeto arquitetônico custou mais de R$ 30 milhões… e que a “licitação” do escritório de arquitetura foi feita no gabinete da secretaria estadual de cultura do então governador José Serra… e que o secretário era o João Sayad… e que o João Sayad é o atual presidente da TV Cultura (que contrata e demite os apresentadores e jornalistas do Roda Viva)… e que “em casa de enforcado não se fala em corda”…

O que você faria com R$ 3 bilhões?
Os entrevistadores-ignorantes parecem não ter a menor noção do que significa R$ 3 bilhões (t~rês bilhões de reais).
O prefeito (k)sabonete diz que não tem dinheiro para a saúde, nem para a educação (creches e emeis), nem para moradias, e nem para o transporte público… mas o prefeito (k)sabonete falou que vai gastar R$ 3 bilhões no “túnel da vergonha” (onde só passa carro particular)… e não houve contestação de nenhum dos entrevistadores-ignorantes…
Será que os entrevistadores-ignorantes sabem o que significa R$ 3 bilhões?
Vamos dar alguns exemplos aos entrevistadores-ignorantes do que pode ser feio com R$ 3 bilhões:
– R$ 3 bilhões = 600 postos de saúde;
– R$ 3 bilhões = 10 hospitais;
– R$ 3 bilhões = 3 mil creches;
– R$ 3 bilhões = 1.500 escolas de educação infantil;
– R$ 3 bilhões = 60 mil casas;
– R$ 3 bilhões = 20 corredores de ônibus…

Com uma imprensa chapa-branca e entrevistadores-ignorantes, o prefeito (k)sabonete e os seus 40 vereadores não precisam nem mesmo de assessoria de imprensa para defender os seus amiguinhos donos de construtoras e outras empresas que vivem da especulação imobiliária.

É por isso que o Movimento Jabaquara Livre há muito tempo trata a grande imprensa local e nacional como meras assessorias de imprensa dos governantes de plantão.

Creche: Sim.
Túnel: não.

Jabaquara, 25 de outubro de 2011.
Mauro Alves da Silva
Movimento Jabaquara Livre.
https://jabaquaralivre.wordpress.com/

Deixe um comentário

Arquivado em Água Espraiada, Câmara dos vassalos, Conselho Tutelar, Kassab, República dos Coronéis

Vereador mano-netinho (PCdoB): samba-da-laje ao invés de moradia popular.


O nobre vereador mano-netinho-de-paula (PcdoB), amiguinho do Kassab, reclamou da imprensa, que só fala do projetos dos vereadores para ridiculariza-los…

O vereador mano-netinho cita o seu projeto de lei “samba-da-laje”, que já virou lei e faz parte do calendário oficial da Cidade de São Paulo.

O “samba-da-laje” acontece na Rua Jandi, no Jabaquara, na área da Operação Urbana Água Espraiada, ao lado da gigantesca favela Alba.

Em 4 de julho de 2011, o nobre vereador mano-netinho, amiguinho do Kassab, votou a favor da construção do Túnel da Vergonha, no Jabaquara, túnel que vai custar mais de R$ 3 bilhões e só vai ser usado por carro particular…
O vereador mano-netinho também fez questão de votar contra a proposta de priorizar a construção de casas populares antes de se desperdiçar R$ 3 bilhões no Túnel da Vergonha.

Se conhecesse o Jabaquara, o vereador mano-netinho saberia que existem mais de 20 mil famílias morando em condições precárias na região… e que os diversos prefeitos preferem construir pontes milionárias e túneis bilionários ao invés de construir as casas populares que a lei 13.260/2001 determina claramente…
Aliá, o nobre vereador mano-netinho, amiguinho do Kassab, deveria rever as imagens do incêndio na favela Alba em 24-09-2010, que fica pertinho do local onde acontece o “samba-da-laje”…
Seria interessante o nobre vereador mano-netinho perguntar par os moradores da favela Alba se eles preferem o “samba-da-laje” ou a construção de 1.200 casas populares para acabar de uma vez por todas com a situação precária em que vivem os moradores da Favela Alba no Jabaquara…

Movimento Jabaquara Livre
Vote pela emancipação
do Jabaquara
e economize
R$ 3 bilhões para a
Cidade de São Paulo.

https://jabaquaralivre.wordpress.com/

1 comentário

Arquivado em Água Espraiada, Câmara dos vassalos, Kassab, República dos Coronéis

Kassab e o bode na sala: “O Dia do Orgulho Heterossexual”.

“Se o povo soubesse como são feitas as leis e as salsichas, não dormiria tranqüilo”
(Otto Von Bismark – estadista alemão).

A questão de vetar ou não o PL 294/2005 (Dia do Orgulho Heterossexual) é uma falsa questão…
O que está acontecendo na Cidade de São Paulo é uma total falta de vergonha na cara por parte de 40 vereadores, os quais foram cooptados pelo prefeito Gilberto Kassab.
Os debates na Câmara Municipal são “prá inglês ver”, pois é evidente que os nobres edis traidores estão mais interessado em aprovar os projetos de interesse do prefeito Kassab, das construtoras e da especulação imobiliária; projetos estes que coincidentemente atendem a grupos que são grandes doadores para as campanhas eleitorais.
Os nobres vereadores traidores, para dar uma desculpinha esfarrapada para os seus currais eleitorais, fazem o seguinte acordo: aprovamos cegamente os projetos do Kassab, das construtora e da especulação imobiliária… Mas, em troca, cada vereador poderia aprovar um projeto de sua autoria, um projeto que não seja debatido com a sociedade civil.
Foi isso que aconteceu com o PL 294/2005 (Dia do Orgulho Heterossexual), do nobre- vereador-fanático Carlos Apolinário (DEM). Vejam que este vergonhoso projeto não foi debatido na “comissão que analisa o mérito” (Comissão de Educação, Cultura e Esportes). Fizeram um “congresso de comissões”, eufemismo para “rolo compressor” da maioria amiguinha do prefeito de plantão. O presidente da Comissão de Educação era o vereador-professor Beto Custódio (PT) em 2004.
O PL 294/2005 (Dia do Orgulho Heterossexual) foi aprovado por “voto simbólico” na Câmara Municipal. Alguns vereadores, com alguma vergonha na cara, ainda tentaram declarar o voto contra… Muitos destes vereadores votaram alegremente a favor do Túnel da Vergonha (no Jabaquara), onde vão enterrar R$ 3 bilhões de reais para atender exclusivamente às construtoras, à especulação imobiliária e garantir um mínimo R$ 60 milhões em doações para as campanhas eleitorais de 2012… alguns destes vereadores também votaram expressamente contra priorizar a construção de moradias populares no Jabaquara… R$ 3 bilhões daria para construir 3 mil creches ou 60 mil casas populares ou 600 postos de saúde ou 10 hospitais…

Vejam que o excelentíssimo senhor prefeito de Piratininga Gilberto Kassab já ia sancionar (transformar em lei) o famigerado projeto: a criação da data comemorativa não seria um apoio à homofobia. “É um projeto como outro qualquer”, disse Kassab na Folha de S. Paulo (05/08/2011).

A gritaria da imprensa hipócrita, contra o PL 294/2005, foi pela repercussão negativa que o “Dia do Orgulho Heterossexual” daria ao Brasil no exterior, pois nosso país já é considerado homofóbico e um dos lugares onde mais se matam pessoas por conta da sua orientação sexual.
Então ficamos assim: O Túnel da Vergonha pode ser aprovado… mas o famigerado Dia do Orgulho heterossexual tem de ser vetado, um veto prá inglês ver.

Enquanto ficamos debatendo o “bode na sala” (PL 294/2005 – Dia do Orgulho Heterossexual), o prefeito Gilberto Kassab desperdiça R$ 3 bilhões em um Túnel da Vergonha que só via atender carros particulares; desperdiça mais R$ 1,5 bilhão no projeto Nova Luz (acabar com 50 mil empregos e 5 mil lojas); aos mesmo tempo em que diz faltar dinheiro para construir creches, postos de saúde, hospitais, casas populares e até mesmo o corredor de ônibus da Celso Garcia!

Nada como ter uma câmara de vassalos e uma dócil imprensa movida a anúncios pagos com dinheiro público.

Falta dinheiro para quase tudo. Mas, parece que dinheiro para a propaganda paga em rádios, tvs e jornais não falta…
Parafraseando Mark Twain, escritor norte-americano, a Cidade de são Paulo tem a melhor câmara municipal e a melhor imprensa que o dinheiro pode comprar.

São Paulo, 22 de agosto de 2011.
Mauro Alves da Silva.
Movimento Jabaquara Livre.
https://jabaquaralivre.wordpress.com/

P.S.: A proposta do PL 294/2005 (Dia do Orgulho Heterossexual), embora tendo sido aprovado pela “Comissão de Constituição e Justiça” (sic), teve o voto contrário da então vereadora Soninha Francine e do atual vereador José Américo.
No caso do “congresso de comissões”, a “Comissão de Educação” aprovou o PL 294/2005 (Dia do Orgulho Heterossexual) com a seguinte justificativa: “Quanto ao mérito, a Comissão de Educação, Cultura e Esportes entende ser inegável o interesse público da proposta, razão pela qual opina no sentido da aprovação do projeto”.

1 comentário

Arquivado em Agora São Paulo, Água Espraiada, Câmara dos vassalos, Folha de São Paulo, Kassab, República dos Coronéis